Conheça a história das Olimpíadas canceladas

A chanceler Angela Merkel foi enfática. Disse que a batalha contra a pandemia do coronavírus é o maior desafio da Alemanha depois da Segunda Guerra Mundial.

A pandemia também impactou a realização de eventos esportivos. Muitos foram cancelados, outros foram adiados. Mas nenhum deles tem o peso dos Jogos Olímpicos.

O COI (Comitê Olímpico Internacional) relutou, mas não teve jeito. Pela primeira vez na história, uma edição das Olimpíadas é adiada. Fica para 2021.

Mas você sabia que os Jogos Olímpicos já foram cancelados três vezes?

É sobre eles que vamos falar na estreia do novo quadro do canal, o Kenji Stories.

Lembra que eu comecei essa história falando sobre a Alemanha? Pois bem, ela iria sediar os Jogos Olímpicos de Berlim, em 1916. Foi a primeira Olimpíada a ser cancelada.

O Kaiser Guilherme, o último imperador da Alemanha, estava empolgado com a competição. Foi ele quem ordenou a construção do estádio olímpico de Berlim, em 1913.

Ele foi palco de momentos históricos, como a consagração do atleta norte-americano Jesse Owens, um negro que conquistou 4 medalhas de ouro sob os olhares de Hitler, nos jogos de 1936.

O estádio também recebeu a final da copa do mundo de futebol de 2006, aquela da cabeçada do Zidane no Materazzi. O francês perdeu a cabeça e a França perdeu a Copa. Vitória da Itália nos pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo normal.

Mas, voltando aos Jogos cancelados, houve uma negociação para tentar uma trégua de duas semanas para a realização das Olimpíadas. Não só as tratativas foram mal sucedidas, como o Barão de Coubertin, idealizador das Olimpíadas da Era Moderna e então presidente do COI, foi convocado a lutar pelo exército da França.

Um fato importante sobre os Jogos de Berlim 1916 seria a estreia dos esportes de inverno no calendário olímpico. Isso, só veio a ocorrer em 1924, em Chamonix, na França.

As Olimpíadas voltaram em 1920, nos jogos da Antuérpia, na Bélgica. A Alemanha foi impedida de participar por ter contribuído com o início da Primeira Guerra Mundial. A mesma medida foi adotada contra Áustria, Bulgária, Hungria e Turquia).

O calendário olímpico ocorreu normalmente até 1940. E aqui, Tóquio entra novamente em cena. Os jogos seriam realizados lá, mas com a eclosão da guerra sino-japonesa, o COI transferiu o status de cidade-sede para Helsinque, na Finlândia.

Em 1940, a nadadora Maria Lenk tinha tudo para se tornar a primeira mulher a faturar uma medalha de ouro para o Brasil. Na época, ela detinha o recorde mundial dos 200 metros peito. Mas a Segunda Guerra Mundial impediu a realização dos jogos, e consequentemente, a participação de Maria Lenk.

Helsinque só sediou de fato os Jogos em 1952. Tóquio recebeu a Olimpíada em 1964.

A segunda grande guerra também atrapalhou a edição seguinte dos Jogos, que seriam realizados em Londres, em 1944, um ano antes do término dos conflitos.

Mesmo após ter sido fortemente bombardeada durante a guerra, a capital inglesa sediou os Jogos seguintes, de 1948.

De lá pra cá, as Olimpíadas foram realizadas normalmente em ciclos de quatro anos. Chegaram a sofrer boicotes, como em Moscou 1980 e Los Angeles 1984, em clima de Guerra Fria, mas não chegou mais a ser cancelada ou adiada.

O primeiro adiamento da história dos jogos se dá agora. Menos mal que evento ainda vai acontecer, pela primeira vez em um ano ímpar. Mas o nome do evento segue como Tóquio 2020.

Para saber mais histórias sobre o esporte e todo o desenrolar do adiamento dos Jogos Olímpicos, inscreva-se no canal e compartilhe este vídeo com seus amigos e amigas. Até o próximo vídeo.

LUCAS KENJI/OLIMPÍADA TODO DIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *