Conexão 91 Paraná – 16/01/2020

Perobal = Um homem morreu nesta quarta-feira (15) em uma usina desativada na PR-486, em Perobal, no noroeste do Paraná. De acordo com a Polícia Militar (PM), uma chapa de ferro caiu sobre o trabalhador. No momento do acidente, a vítima, Wagner Aparecido Frota, 40 anos, operava uma máquina para retirar a chapa da carroceria de um caminhão. Conforme a PM, o socorro foi chamado, mas quando as equipes chegaram ele já estava morto. O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Umuarama, também no noroeste do estado.

Maringá = A prefeitura de Maringá, no norte do Paraná, foi condenada a pagar R$ 5 mil por danos morais a uma mulher por um tombo em uma calçada. O imóvel é particular, mas o juiz Nicola Frascati Junior, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Maringá, entendeu que o município “falhou culposamente”. Cabe recurso da decisão desta quarta-feira (15). “Tem-se que o Município de Maringá falhou culposamente em seu dever de fiscalização, manutenção e conservação de passeio público, pois a ele compete garantir aos pedestres, calçadas e passeios públicos em condições adequadas de uso”, diz trecho do despacho. O acidente foi em 15 de janeiro de 2015. A vítima – uma cozinheira – caminhava com o marido e o filho pela Avenida Laguna, na Vila Operária, quando caiu em um desnível da calçada. Conforme a decisão, a vítima passou seis dias internada, em razão de uma fratura no cotovelo. A vítima, segundo o despacho, “não pode mais buscar por um emprego de cozinheira por prazo indeterminado, visto que terá passar por nova cirurgia em decorrência da queda e ainda necessitará fisioterapia por longo prazo para recuperar os movimentos do cotovelo, punho e braço”. Além da indenização por danos morais, o município também foi condenado a pagar R$ 152,83 por prejuízos materiais. Dalmo Avila Sanga, um dos advogados da cozinheira, diz que o proprietário do imóvel não foi processado porque haveria dificuldade em provar que a culpa dele. “Não sabíamos se o atual proprietário foi realmente quem construiu a calçada e se obteve aprovação do município ou não. Haveria uma dificuldade na comprovação da culpa do atual proprietário do imóvel, podendo acarretar em riscos de sucumbência para a nossa cliente”, explica. Em nota, a Prefeitura de Maringá informou que ainda não foi notificada da decisão e que depois disso vai decidir se apresenta recurso.

Maringá 2 = Dois homens deixaram para trás um fuzil de plástico após a vítima de um assalto perceber que a arma era de brinquedo, em Maringá, na noite de terça-feira (14). De acordo com a Polícia Militar (PM), o caso aconteceu na Rua José Moreno Júnior, no bairro Jardim Aclimação, por volta das 20h30, próximo à Unicesumar. A vítima do assalto estava em um ponto de ônibus quando dois homens em uma motocicleta pararam no local e anunciaram o assalto, apontando uma arma longa. Após entregar o celular aos ladrões, a vítima notou que a arma usada era, na verdade, uma réplica de airsoft. Segundo a PM, a vítima do assalto reagiu, conseguiu retirar as chaves da motocicleta e fugiu em direção à universidade. Os assaltantes tentaram fugir com a moto, mas abandonaram o veículo após não conseguirem ligá-la. A equipe policial foi chamada e fez buscas pela região com cães farejadores. Próximo ao local do assalto, a PM encontrou a arma de plástico e um capacete. Ninguém foi preso. Após a apreensão da arma de airsoft, a Polícia Civil afirmou que vai investigar se outros assaltos registrados na cidade foram realizados com o fuzil de plástico. Em novembro de 2019, câmeras de segurança registraram dois homens em um assalto a um posto de combustíveis usando uma arma longa, com as mesmas características da arma aprendida na terça-feira.

Londrina = Uma mulher de 66 anos caiu em um golpe de falso sequestro em Londrina, no norte do Paraná, na terça-feira (14), conforme a Polícia Militar. Ela depositou dinheiro para criminosos e acabou “presa” em um quarto de hotel. Por volta das 14h, a idosa saiu de casa e não voltou mais, desapareceu. O filho dela percebeu o sumiço e começou procurar pela mãe, junto com a polícia. Ela foi vítima de um falso sequestro. De acordo com a PM, os criminosos ligaram para ela dizendo que tinham sequestrado o filho e falaram para a mulher ir até uma agência bancária fazer um saque e um depósito na conta deles. Depois, orientaram que a idosa fosse para um hotel. Eles queriam que a mulher dormisse ali para que, no dia seguinte, repetisse as transações, segundo a PM. Porém, a PM conseguiu descobrir o quarto do hotel e resgatou a idosa por volta das 23h30, antes que ela fizesse mais depósitos para os criminosos. A idosa passa bem. O valor do prejuízo não foi informado. O hotel fica na zona leste de Londrina. Ela estava sozinha no quarto do hotel. Até agora não se sabe quantos criminosos participaram da ação, nem qual é a identidade deles. A Polícia Civil investiga o caso.

Paranavaí = Um caixão foi encontrado jogado em uma rua, no Jardim Morumbi, em Paranavaí, na manhã desta quarta-feira (15). O objeto foi deixado em uma estrada rural, nos fundos da Unespar, e encontrado por moradores, que disseram não saber como o caixão foi parar no local. Além do objeto inusitado, no espaço também há móveis e eletrodomésticos velhos, entulho e lixo doméstico. Segundo informações apuradas pela reportagem da RPC Noroeste, o Instituto Médico-Legal (IML) da cidade informou que nos últimos dias não houve a exumação de nenhum corpo. A Polícia Civil também não tem registro de nenhum caso. Um funcionário do Cemitério explicou que, após cinco anos de sepultamento, o caixão pode ser retirado, mas recebe a destinação correta. De acordo com a prefeitura de Paranavaí, nunca houve registro semelhante na cidade. O município informou que vai enviar uma equipe até o local para avaliar o caso.

DPVAT = Começou a funcionar a partir ontem (15) o site para que os proprietários de veículos que têm direito à restituição de valores pagos a mais do seguro Dpvat 2020 (sigla de Danos Pessoais por Veículos Automotores de Vias Terrestres). De acordo com a seguradora Líder, mais de 1,9 milhão de veículos em todo o Brasil estão aptos a receber o pagamento da restituição. O prazo para pedir o valor pago a mais é até o final do exercício de 2020. A maioria dos veículos se concentra no estado de São Paulo, onde mais de 900 mil devem receber de volta o que foi pago a mais. Em seguida, aparecem Minas Gerais, com mais de 300 mil veículos, e o Rio Grande do Sul, com mais de 200 mil veículos. As menores frotas estão em Roraima, com mais de 2 mil, e Acre, com mais de 3 mil veículos. A restituição foi anunciada na semana passada pela seguradora, responsável pela gestão do seguro, após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, ter voltado atrás e acolhido pedido do governo para extinguir sua própria liminar, reduzindo os valores do seguro obrigatório Dpvat. O pedido para receber os valores pagos a mais deve ser feito acessando o site do seguro. A restituição da diferença dos valores será feita diretamente na conta corrente ou conta poupança do proprietário do veículo. Para fazer a solicitação, os proprietários de veículos deverão informar o CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) ou CNPJ (Cadastro de Pessoas Jurídicas) do proprietário; Renavam do veículo; valor pago; data em que o pagamento a mais foi realizado; dados bancários (banco, agência e conta corrente ou conta poupança do proprietário); e-mail de contato e telefone de contato. “Ao enviar a solicitação, o proprietário receberá um número de protocolo para o acompanhamento da restituição, no mesmo site. Após o cadastro, a restituição será processada em até dois dias úteis, dependendo apenas da compensação bancária para a sua finalização”, informou a seguradora. Ela disse ainda que o site receberá somente os pedidos de restituição da diferença de valores pagos referente ao Seguro Dpvat 2020. No caso de o proprietário ter pago o seguro de 2020 duas ou mais vezes, o pedido deverá ser feito acessando outra página. Já os proprietários de frotas de veículos devem enviar e-mail para: restituicao.dpvat@seguradoralider.com.br.

Segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), uma frente fria se desloca rapidamente e se aproxima do Paraná. Com isso, as condições meteorológicas nesta quinta-feira (16) voltam a ser de instabilidade e com formação de temporais em algumas áreas. A região segue sem previsão de chuvas significativas. As temperaturas continuam altas, chegando aos 34°C de máxima e 23°C de mínima. Na sexta-feira (17) o tempo segue instável no Paraná, principalmente no interior, conforme o Simepar. Tempo parcialmente nublado e previsão de pancadas de chuvas (6.4 mm) para a nossa cidade. Máxima de 32°C e mínima de 23°C.

FONTES G1 PARANÁ/RPC NOROESTE/PORTAL DA CIDADE PARANAVAÍ – FERREIRA JR – CONEXÃO 91

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *