Conexão 91 – Destaques Paraná 10/10/19

Confira os destaques de hoje…

Curitiba = Um adolescente suspeito de assalto morreu depois de ser baleado por um policial, na noite desta quarta-feira (9), no bairro São Braz, em Curitiba, de acordo com a Polícia Militar (PM). Outro adolescente foi baleado na perna. Ele foi levado para o Hospital Universitário Evangélico Mackenzie. Segundo a polícia, os dois suspeitos entraram em uma loja e deram voz de assalto. Clientes e funcionários foram levados para o fundo do estabelecimento. Nenhum deles se feriu. De acordo com a PM, uma pessoa que passava na frente do estabelecimento percebeu a ação e acionou a polícia. Uma testemunha relatou que os adolescentes escondiam armas por baixo da roupa.

Caso Daniel: Justiça revoga prisão de três réus = A Justiça revogou as prisões de David William Vollero, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva e Ygor King e mandou suspender o monitoramento eletrônico de Cristiana Brittes. Eles são réus no processo que apura a morte do jogador Daniel Correa. A decisão desta quarta-feira (9) acompanha o pedido feito pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) nas alegações finais, apresentadas na terça-feira (8). No documento, o MP pediu que os sete réus sejam levados a júri popular. Daniel foi morto no dia 27 de outubro, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Operação contra tráfico de drogas mira ex-funcionários dos Correios = A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação, na manhã desta quarta-feira (9), que mira uma organização criminosa com atuação no tráfico internacional de drogas sintéticas. Ex-funcionários dos Correios são alvos, segundo a PF. Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em Curitiba e em Piraquara, na Região Metropolitana. Entre os alvos, conforme a PF, dois eram funcionários de carreira e três terceirizados. Os endereços onde houve as buscas são desses ex-funcionários e de um comprador da droga. De acordo com a PF, a suspeita é de que o grupo usasse o centro internacional de encomendas dos Correios em Pinhais para executar o esquema criminoso.

Pinguim é encontrado em praia de Matinhos = Um pinguim foi flagrado no Balneário Florida, em Matinhos, no litoral do Paraná, na manhã desta quarta-feira (9). Moradores avistaram o animal na areia, e pesquisadores do Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) fizeram o resgate. O pinguim foi levado para o Centro de Reabilitação, Despetrolização e Análise de Saúde de Fauna Marinha (CReD), em Pontal do Paraná, também no litoral do estado, para avaliação das condições de saúde e estabilização do animal. De acordo com os moradores que encontraram o pinguim, ele não parecia estar machucado.

Estudante desenvolve projeto de absorvente para moradoras de rua = Com o projeto de um absorvente interno sustentável para mulheres em situação de rua, a universitária curitibana Rafaella de Bona Gonçalves conquistou uma das mais importantes premiações internacionais de design. A ideia é produzir o absorvente a partir de fibra de banana. O projeto de Rafaella foi o único brasileiro que recebeu o prêmio alemão “iF Design Talent Award”, na edição deste ano, de acordo com o Centro Brasil Design, que é o escritório de representação no Brasil. Rafaella tem 22 anos é aluna do 3º ano de design de produto da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Em paralelo, decidiu fazer um curso de especialização em design voltado para soluções de impacto para o futuro.

Curitiba 2 = Um homem suspeito de ter agredido um cachorro e abandonado o animal ferido dentro de uma sacola, em Curitiba, foi preso nesta terça-feira (8). Câmeras de monitoramento mostram o momento em que o cachorro é abandonado na calçada. O crime aconteceu na sexta-feira (4), no bairro Pinheirinho. De acordo com a Polícia Civil, ele foi autuado pelo crime de maus tratos. Segundo o delegado da Delegacia de Proteção de Proteção ao Meio Ambiente, Matheus Laiola, as imagens ajudaram a polícia a identificar o suspeito.

“Recebemos um vídeo que acabou viralizando, que mostra um cachorro que foi espancado na cabeça. Realizamos diligências e conseguimos identificar essa pessoa”, afirmou Laiola. Segundo o delegado, o homem confessou o crime. “Ele disse que o cachorro era dele, que tinha cheirado cocaína, brigado com a esposa, estava revoltado e, em razão disso, acabou agredindo o cachorro”, disse. De acordo com Laiola, o homem falou que a intenção era de matar o cachorro, colocar em um saco, e se desfazer do animal. O animal foi socorrido por uma pessoa que passou logo em seguida pelo local e viu o algo se mexendo dentro do saco. De acordo com a polícia, o cachorro está se recuperando das agressões e está em estado estável

Maringá = Uma câmera de segurança registrou o momento em que uma mulher foi atropelada, na tarde desta quarta-feira (9), na Avenida Dona Sophia Rasgulaeff, em Maringá, no norte do Paraná. Na imagem é possível ver a mulher atravessando a avenida quando uma kombi a atropela. O motorista fugiu do local do acidente e, até o momento não foi localizado. Ela foi encaminhada ao Hospital Santa Rita.

Nova Londrina = Um médico e um ex-diretor administrativo do Hospital Municipal Santa Rita de Cássia, em Nova Londrina, no noroeste do Paraná, foram denunciados pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por estelionato, na terça-feira (8). A denúncia é um desdobramento das investigações realizadas no âmbito da operação Cicuta, deflagrada em junho. Justiça determina o afastamento de quatro funcionários do hospital municipal de Nova Londrina. De acordo com a promotoria, o médico Gilmar Soares de Mello trabalhava no hospital municipal, mas cobrava para realizar cirurgias eletivas, que são aquelas que não são consideradas de urgência. Os procedimentos eram realizados no hospital que atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o MP-PR, o profissional dizia aos pacientes que a cobrança era autorizada por lei municipal. O médico cobrava entre R$ 400 e R$ 3.800 de cada paciente, que normalmente era de baixa renda. A denúncia ainda detalha que, em alguns casos que o médico cobrou, o mesmo procedimento foi pago pelo SUS ao hospital. O MP-PR atribui ao médico a prática de 18 estelionatos, além do crime de falsidade ideológica. Também pediu que ele seja afastado de qualquer cargo público que possa ocupar. O ex-diretor administrativo do hospital Avelino Alcione Colla foi denunciado pela prática de oito estelionatos. Além do processo criminal, o médico, o ex-secretário de saúde municipal, Paulo Cesar Francischetti, e o ex-diretor administrativo foram denunciados por improbidade administrativa. O MP-PR pede a indisponibilidade de R$ 668 mil em bens dos três investigados. O que dizem os denunciados: O ex-secretário de Saúde Paulo César Francischetti disse que não foi notificado e, por isso, não vai se manifestar. Francischetti é vereador e funcionário concursado do município. Atualmente é encarregado dos carros da saúde da cidade. O médico Gilmar Soares de Mello disse que não está sabendo da ação e que não recebeu nada, por este motivo não vai se manifestar. Atualmente, o profissional trabalha na unidade básica de saúde. O G1 não conseguiu localizar Avelino Alcione Colla, ex-diretor do hospital. O prefeito de Nova Londrina Otávio Grendene Bono (PSC) disse que na época da operação exonerou Francischetti e Colla dos cargos e o médico envolvido foi afastado do hospital. O profissional ficou trabalhando para o município porque é servidor público. O médico ainda responde a um processo interno na prefeitura. O resultado dessa investigação deve sair em 60 dias, depois disso será definido se o servidor será demitido ou não.

GAECO/MP-PR = O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), denunciou 133 pessoas envolvidas com o Primeiro Comando da Capital (PCC). No total, são 14 denúncias criminais. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (9). Do total de denunciados, 98 estão presos e o restante está foragido, informou o MP-PR. A investigação apontou que os envolvidos com a organização criminosa atuavam em diversos estados, mas especialmente em cidades do norte do Paraná, a partir de presídios. Os denunciados são acusados de crimes como participação em organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico, comercialização e porte de armas, tortura mediante sequestro e tentativa de sequestro. Segundo o MP-PR, os acusados foram investigados no âmbito da Operação Sicário, deflagrada em julho deste ano, em conjunto com a Polícia Militar (PM). À época, foram cumpridos 68 mandados de prisão e 80 de busca e apreensão em 40 cidades do Paraná e uma de São Paulo. Antes da deflagração da operação, o Gaeco investigou a facção criminosa por um ano e meio. De acordo com o coordenador do grupo, Leonir Batisti, os integrantes estavam divididos hierarquicamente e havia ordens desde a compra e venda de drogas até de execução de pessoas que atrapalhassem a atividade.

Com informações e imagens de sites e portais (G1 Norte e Noroeste/RPC Noroeste/Plantão Maringá/Portal da Cidade Paranavaí/Diário do Noroeste) – Ferreira Junior – Conexão 91

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *